segunda-feira, 26 de julho de 2010

Feliz dia dos Avós


A minha Avó é:
Chata, hipocondríaca e tem a mania que tem sempre razão. É teimosa, gosta de mandar em toda a gente. Se as coisas não correm à maneira dela, podemos ter a certeza que amua e fica a soprar, de braços cruzados e com o pézinho a abanar (tipo criança de 5 anos). Só ouve o que lhe dizemos se estivermos a concordar com ela e, no caso de estarmos a contrapor a opinião dela, por melhores que sejam os argumentos, entra-lhe por um ouvido e sai pelo outro... tão rápido que posso jurar que chego a ver aqueles cabelinhos ao pé da orelha mexerem-se com o passar das palavras. Queixa-se que ninguém lhe liga e que se morrer ninguém vai sentir a falta dela. Acha que se está preocupada comigo sou eu que tenho que lhe ligar e que se eu estou preocupada com ela também sou eu que tenho que ligar. Tudo lhe acontece. É do Sporting.
Mas sei que sempre que precisar dela, estará lá sem fazer perguntas. Já chorou porque quando vivia com ela (quando entrei na Universidade), um dia passei-me, fiz as malas e disse que saía de casa... claro que não fui capaz. Manda-me 10kg de carne todos os meses com medo que eu passe fome. Preocupa-se comigo. Todas as 6as feiras está à minha espera para jantar. Gosta de contar anedotas... porcas. Faz-me rir à gargalhada com as conversas que tem. Faz uns doces com aspecto de vomitado.. e fica triste porque ninguém quer provar. Passa a vida a elogiar os meus cozinhados. Diz que vai começar a dieta que a nutricionista lhe recomendou “esta 2ª feira”, todas as 6as feiras. Gosta de mim mais do que qualquer outra pessoa.

O meu Avô é:
Teimoso e às vezes parece uma criança. Quanto mais lhe dizemos “não faças”, mais depressa ele vai fazer...às escondidas. É a melhor pessoa que conheço e tem um coração do tamanho do mundo. É alentejano. Gosta de vinho. Adora jogar às cartas e ensinou-me a jogar à lerpa. É do Benfica. Deu-me a carta e o meu primeiro carro. Chama-se Franklim, quando eu era pequenina chamava-lhe kim-kim... a moda pegou e quase toda a gente o chama assim. Eu ainda chamo. Está sempre a rir. Também conta anedotas... de alentejanos. Nunca diz “Não”. Apoia-me em tudo, mesmo que seja a coisa mais estapafúrdia que já ouviu. Impossível não gostar dele. Anda sempre de boné, de preferência com a pala para trás, com as calças de ganga quase a cair e de chinelos (do Benfica). A minha avó refila com ele, ele ri-se. Come quilos de fruta depois do jantar. A minha avó refila por causa dos diabetes. Ele ri-se. Tira mais uma laranja.

São os meus Avós. E eu gosto deles.

Sweet

quinta-feira, 15 de julho de 2010

saldos!

Eu precisava muiiiiitoooooooooooooooooooooooooo :


Disto e de um trikini leopardo, rosa choque e amarelo da H&M, e de um top branco cheio de folhos.

Como cada um tem o que merece...
Os saldos deram-me o que eu mereci! :)



















Spicy

quarta-feira, 14 de julho de 2010

let's call it a day. a bad day


Vou-me sentar aqui um bocadinho.

Vou respirar fundo.


Acordar cedo, bem cedo. Porquê? Pura e simplesmente porque não conseguia dormir. Nem sequer obrigações laborais para cumprir de manhã. Então vou até à praia. Revistas na mala, o livro que ando a ler, creme para o corpo e para o cabelo. Fruta. Carteira e óculos escuros. Check!

bolas a toalha, voltei-me a esquecer da toalha de banho. Lembrei-me desta vez a tempo.


Pego no carro, a caminho da praia percebo que está tudo nublado ao pé do mar. Praia? Secalhar é melhor não. Vou antes à Primark.

E o belo dia fabuloso continua, perdi-me, perdi-me bem no meio da cova da moura. Demorei mais de 1 hora a chegar à Primark. e não comprei nada. NADA! incrivel, até para mim confesso.

Consegui comprar 1 coisa na New Yorker. Uma unica saia. Zebra.

Vou para casa, trânsito. bastante. e o gasoleo a voar, estava (desde que sai de casa) com o carro na reserva e fiz o quintuplo dos kms que era suposto. Consigo evitar o colapso. Chego a casa a tremer, com uma fome inexplicavel e ataco o frigorifico. Literalmente. Eu nem sequer adoro Ice Tea, agarrei no pacote de manga e bebi, directamente do pacote. O meu cerebro congelou. Duche rápido, metro para o escritório. Passe caducado, vou renova-lo acto continuo, e depois percebo que vou entrar de férias. vou sair de Lisboa em breve e não compensava. De todo.

Dinheiro mal gasto.


Vou ao supermercado tratar do catering para o evento de hoje, tenho os dedos cortados. Ha problemas com o material da banda. Odiamos a TAP. sim odiamos.

Ha milhares de outros detalhes que correram mal hoje. Mas estes são estupidos o suficiente.

Precisava de vir aqui respirar fundo.


e pronto. ai... e ponto.


Spicy

Sexo forte/Sexo fraco


Os homens passam a vida a gabar-se por se considerarem  o chamado “sexo forte”... mas forte em quê afinal? Já dei voltas à cabeça e ainda estou para descobrir o que os torna mais rijos que nós, mulheres! Sempre que se ouve esta opinião, soltam-se uns risos masculinos que soam a falso, como quem diz “pois sim... são vocês o sexo forte.”
E querem saber que mais?! Sim, somos nós! A mulher, ao longo da vida, é pressionada a ter que lutar duas vezes mais que o homem para conseguir o que quer (e mesmo assim consegue ser melhor em tudo o que faz); na adolescência, para além das alterações hormonais comuns aos dois sexos, ainda temos que lidar com a menstruação, sabendo, logo à partida, que nos irá acompanhar durante 40 ou 50 anos e, por muito que merecêssemos essa maldita semana enfiadas na cama a agonizar com dores, temos que nos levantar e ir trabalhar, faça chuva ou faça sol; é também por volta dessa altura que nos começam a aparecer os temidos pêlos, nas pernas, debaixo dos braços, em todo o lado e, ao contrário do “sexo forte”, uma vez por mês lá temos que nos sentar à mercê de uma qualquer esteticista diabólica que nos vai proporcionar, no mínimo, uma hora de sofrimento (eles não... homem que é homem tem pêlos... e muitos!); depois temos a restante parte estética: temos que pôr cremes 30x ao dia, fazer exfoliações, máscaras, arranjar o cabelo, as mãos, os pés, as sobrancelhas, o buço...
Claro que eles dizem que só fazemos isto porque queremos... Obviamente meus amigos, nós é que queremos, até porque o que faz sucesso agora é o look Mulher das Carvernas que tem tudo de sensual.
Adiante... não, não me esqueci da “melhor” parte, aquela que nós, como mulheres que somos, adoramos atirar-lhes à cara e que os deixa (quase) sempre sem resposta... A Gravidez! Algum mérito temos que ter, se esperam que andemos 9 meses a ver a barriga crescer, a ter enjoos, desmaios, desejos, dores nas costas, dificuldade em andar, e ainda se tivermos nem que seja uma pequena dor de cabeça, temos que nos aguentar porque nem uma aspirina podemos tomar. Não podemos beber álcool. Não podemos fumar. Não podemos comer carne mal passada. Não podemos fazer esforços. Não. Não. Não. Tudo isto para depois já bem de rastos levarmos a estocada final: deitar cá para fora esse ser que nasceu dentro de nós. E eles... sempre ao nosso lado... ao nosso LADO!

Tenham lá coragem agora, para nos chamarem "Sexo fraco".

Sweet

terça-feira, 13 de julho de 2010

Um “viva” ao Facebook

Comecei a utilizar o livro das caras há pouco mais de um ano, já nem me lembro bem porquê e, desde então, a minha vida nunca mais foi a mesma. Encontrei amigos de infância, primos afastados, pessoas que eu já tinha esquecido e que já nem se lembravam de mim. É bom reviver o passado, dizer “lembras-te daquela vez...?”
Mas o Face é muito mais que isso... descobri que, neste preciso momento gosto de exactamente 149 coisas! Ora, eu nunca tinha sequer pensado de quantas coisas poderia gostar, e a verdade é que todos os dias gosto de mais e mais coisas... Não sei até que ponto poderá ser saudável gostar tanto e de tanta coisa, mas o meu coração até é grandinho e mal não deve fazer, certo?!
Só há uma coisa que me irrita verdadeiramente naquele mundo e que é, nem mais nem menos do que os passatempos por “likes”... É que já tomou proporções ao nível do festival da Eurovisão ou coisa que o valha! É o verdadeiro acto de SPAM.. Bem, a verdade é que eu papo tudo o que são passatempos... dá-me gozo e até já ganhei umas coisas bem porreiras, mas assim que no regulamento aparece a palavra “likes”, pronto... até tenho arrepios na espinha! De repente sinto-me parte do Clockwork orange, como se tivesse grampos nos olhos, do género: não gostas mas tens que levar com isto. O que vale é que não sou só eu a pensar assim até porque já existe um grupo “Anti-likes”, e saber que não são coisas da minha cabeça deixa-me muito mais aliviada...
Mas o melhor mesmo é estar sempre a par de tudo, saber as últimas novidades da música, do cinema, até sei a vida toda dos meus amigos (onde estão, com quem, a fazer o quê) e posso “meter o bedelho” sempre que me apetecer! Isto daqui a uns anos passa-me, ou pelo menos espero que sim, não vá entretanto precisar de me juntar aos futuros Facebookólicos anónimos...

Sweet

O começo...


Gostamos de não ter obrigações.
De ficar na cama a dormir de olhos abertos, de praia, de sol, de amigos e de rir sem parar.
Gostamos de comer e de cozinhar. De dietas. De pequenos-almoços com tudo o que temos direito e de sobremesas cheias de leite condensado. Também o gostamos de comer da lata, às colheradas.
Somos benfiquistas de coração.
Gostamos de cinema. Com e sem pipocas. Quase sempre com Coca-Cola. Zero.
Fruta. Com Iogurte e Cereais.
De cigarros fumados a meias. De Moda. De saldos.
De Borlas. De mensagens. Cusquices e vernizes das cores mais bizarras.
Livros, e revistas Cor-De-Rosa. Pastilhas Elásticas e Gomas.
Mojitos, com muita hortelã, e açúcar amarillo.
Mimos com moderação. Inventar nomes e falar das pessoas com quem nos cruzamos, da escola secundária.
Até de passatempos gostamos. E de viagens.


Pronto, estando a “coisa” apresentada, está na hora de declarar este blog oficialmente inaugurado!!


Sweet&Spicy